O que é somente meu?

Atualizado: 7 de Nov de 2020

Enquanto não fizermos o movimento de inversão, de olhar para o que nos habita, sejam emoções consideradas positivas ou negativas, sentimentos que nos fazem residir em patamares existenciais sombrios ou elevados, estaremos replicando padrões familiares, crenças não subjetivas, pré-juízos que se repetem em nossa vida automaticamente.


Estar vivendo no automático pode ser um sintoma da normose, daquilo que é aceito como normal, e no entanto, pode estar muito distante de tudo aquilo que podemos ampliar, reinventar, criar...


Para ampliar preciso identificar o que é meu, o que vibra em meu ser como subjetivo.


Tudo o que trazemos dos nossos pais tem muito valor e nos sustenta existencialmente, porém, pode ser que seja possível ajustar algumas questões conforme nossas medidas e poder criar o novo, ou simplesmente descartar o velho que aprisiona e não faz mais sentido.



Posts recentes

Ver tudo